Dia 11 de maio comemora-se o dia nacional do reggae. É quase impossível não lembrar de um dos grandes nomes desse estilo: Nesta Robert Marley, ou, Bob Marley como é conhecido. Nascido na Jamaica em 1945, ano esse do fim da segunda guerra mundial, Bob Marley não só foi um dos mais reconhecidos artistas desse estilo como também foi um pregador da paz, um soldado que empunhando sua guitarra lutava pelos direitos dos negros e das minorias oprimidas. Integrante da banda The Wailers, nascida em 1963, juntamente com Peter Tosh e Bunny Wailer, disseminou o reggae por todo o mundo. Hoje o Reggae continua com força. No Brasil existem nomes de peso, tais como: Produto Nacional, Ponto de Equilíbrio, Planta e Raiz, Tribo de Jah entre outros.

A música tem o poder de penetrar os confins mais profundos da mente, chegando a um alto nível de benefícios para o ser humano que não é superado por nenhuma outra forma de expressão artística. No que se refere às juventudes ela é fundamental, pois aproxima o jovem de atividades que contribuem para sua saúde mental e física lhe tornando sensível às questões que necessitam de um tato mais fino e apurado, fazendo com que valorize e procure amizades verdadeiras e relações mais sinceras e enriquecedoras, o que para sua formação contribui no desenvolvimento de um ser íntegro. O reggae por sua vez possui uma cadência que facilita a conexão do ouvinte com seu eu interior. Segundo aqueles que têm esse ritmo como religião: “sua pulsação leve e constante é como o coração da Grande Mãe Terra que emana a paz e nos faz refletir sobre nossa ligação com a natureza e com o criador.” Pregar a paz e a união dos povos, a igualdade entre os homens e a compaixão para com os segregados, esses são os princípios que guiam aqueles que acreditam na música e usam o reggae como ferramenta de transformação social e elevação do espírito. Assim sendo, o Reggae nascido no fim da década de 1960 tem uma importância relevante nos dias de hoje, onde a exclusão e a intolerância fazem tantas vítimas.

Nas palavras de São Francisco de Assis: “todos os seres são iguais, pela sua origem, seus direitos naturais e divinos e seu objetivo final.” Que a música possa nos guiar pela senda da justiça e da compreensão.

Boas vibrações!

Dieison Siqueira
Centro da Juventude

Faça sua doação